Coronavírus x Alimentação

Qual a relação do COVID-19 com a nossa alimentação?



Nos últimos anos, muito se fala em melhorar nossa alimentação. Não só pelo combate ao sobrepeso, mas como também pelo fato de afastar outras doenças relacionadas, como: diabetes, hipertensão arterial e doenças cardíacas.


Atualmente estamos vivendo uma pandemia, um vírus ainda muito desconhecido pela ciência e pela medicina.

Diversos estudos recém-publicados demonstram que o excesso de peso e a idade avançada são os maiores fatores de risco para que os que os pacientes desenvolvam a Covid-19. Ou seja, a obesidade e coronavírus são uma combinação gravíssima.


E uma boa notícia é que mudanças na alimentação podem melhorar e em alguns casos até reverter algumas destas doenças crônicas, como a diabetes tipo 2.


Solução para obesidade em tempos de pandemia:


Um exemplo é a famosa dieta Low Carb (reduzida em carboidratos) vem demonstrando resultados muito interessantes nesse sentido.

Um estudo controlado, realizado na Universidade de Indiana, com 262 adultos portadores de diabetes tipo 2 demonstrou que, em apenas dez semanas, 56% dos pacientes que seguiram esse tipo de regime conseguiram contorná-la.


Outras pesquisaram apontaram que a dieta low carb pode melhorar rapidamente e substancialmente vários fatores de risco cardiovascular, a exemplo da hipertensão arterial, um dos principais fatores de risco para o agravamento dos pacientes com Covid-19.



Entender e, sobretudo, ter controle sobre o que você come é ter autoridade com relação à sua própria saúde. É pôr em prática o que Hipócrates, o “pai ” da medicina, sabiamente preconizou: “Que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja seu remédio”.


Existem inúmeros benefícios para a saúde quando nos submetemos a uma alimentação mais saudável. Porém cada organismo reage de uma forma diferente a novos hábitos. Então é fundamental o acompanhamento de um profissional de saúde ou nutrição habilitado para indicar o que melhor se enquadra nas suas condições de saúde.

Alimentos você pode ingerir em maior quantidade nesse período:


  • Abacate, morango, pêssego, melão e côco.

  • Proteínas mais magras como peixes e aves sem pele, carnes magras como patinho, filé mignon, alcatra.

  • Nozes, macadâmia, azeitonas, azeite.

  • Abobrinha, brócolis, couve-flor, acelga, cogumelos, aipo, tomate cereja, couve, agrião, pimentão, aspargos, abobrinha, berinjela, espinafre, pepino, cebola, chuchu, vagem, rúcula, escarola, alho-poró, aipo e alface.


Eu quero te convidar a dar um passo rumo ao corpo dos seus sonhos, um corpo que te agrade e acima de tudo, saudável. Sem remédios, sem alto investimento e SEM PASSAR FOME. Veja o exemplo do comediante Márvio Lúcio, o Carioca, comemora os cerca de 7 quilos mais magro em apenas 40 dias:






87 visualizações0 comentário